Tel.: (41) 3339-6060

Dúvidas

PERGUNTAS FREQUENTES



PERGUNTAS SOBRE IMPLANTES

Os implantes são cilindros confeccionados em titânio, que são instalados ( implantados) no osso mandibular ou maxilar nos locais onde houve a perda de um ou mais dentes. Eles substituem as raízes dentais e possibilitam a confecção de próteses sobre eles ( raízes artificiais para dentes artificiais ).

Os implantes dentais substituem com eficiência e conforto os dentes perdidos sendo superiores ao uso de próteses totais (dentaduras), próteses removíveis e mesmo das próteses fixas que utilizam raízes de dentes como pilares.
É o processo de união entre o implante e o tecido ósseo que permite exercer as forças mastigatórias funcionais sem sintomas e sem mobilidade.
Por se tratar de um metal biocompativel, não causa reações adversas aos tecidos orgânicos, permitindo a osseointegração e possuindo resistência para suportar próteses de acordo com variações determinadas.

Essa integração permite a alta taxa de sucesso na reabilitação dos pacientes.
Por vários motivos.
  • Recupera o dente perdido (estética);
  • Recupera a função;
  • Evita ou diminui a sobrecarga dos dentes remanescentes;
  • Evita ou diminui a reabsorção óssea no local do dente perdido.
Na maioria dos casos não. Quase sempre é possível a utilização de algum tipo de prótese provisória. Mas existem exceções... alguns casos sem a possibilidade de utilizarmos próteses provisórias por algum período de tempo. Lembramos que, principalmente em regiões estéticas, utilizamos algum tipo de prótese provisória em praticamente 100% dos casos.
A estética bucal é formada pelo conjunto: dentes, gengivas e lábios.

Devemos considerar que uma gengiva sadia tem uma espessura constante em cada região recobrindo o tecido ósseo e envolvendo os dentes. Uma vez que ocorre a perda de um ou mais dentes o resultado estético dependerá de quanto o tecido ósseo de suporte foi afetado e das possibilidades de recuperá-lo.
O tecido ósseo do nosso corpo precisa ser constantemente estimulado para que mantenha sua estrutura em tamanho e consistência. Na maioria dos locais, este estímulo é feito pelos músculos que nele se inserem. Daí a importância dos exercícios físicos para a manutenção dos ossos. No entanto, sobre o osso alveolar dos maxilares (osso que segura os dentes) não há músculos. Portanto, o estímulo é feito pelos dentes durante a mastigação e deglutição.

Assim, mesmo quando ocorrer perda de apenas um dente, aquela região deixa de receber estímulo e o osso vai sendo reabsorvido pelo organismo em espessura e em altura resultando em ‘’ defeito ‘’ ósseo na região.

Imagine só então se a pessoa perde todos os dentes de uma arcada: A reabsorção é contínua e progressiva sendo já considerada uma doença crônica.
A instalação de um implante dentário na região onde o dente foi perdido faz com que o osso volte ser estimulado, diminuindo ou freando o processo de reabsorção. Para que esse estímulo seja completo, é necessário que sobre este implante exista uma prótese em função.
Quando ocorrem perdas dentárias, os dentes perdidos podem ser substituídos por prótese fixa convencional, prótese removível ou implantes. Na substituição por prótese fixa convencional é necessário desgastar parte dos dentes vizinhos, na maioria das vezes sadios, para servirem de apoio (pilares) para a prótese. Portanto, além de ficarem unidos, estarão recebendo uma força maior, referente ao dente que falta (sobrecarga).

As próteses parciais removíveis também são apoiadas sobre dentes remanescentes. Uma desvantagem destas em relação às próteses fixas apoiadas sobre dentes, é o fato de funcionarem como uma alavanca sobre eles, sobrecarregando ainda mais os dentes remanescentes. Deste modo além de não sobrecarregá-los, na maioria dos casos os implantes acabam por proteger os dentes remanescentes de desgastes desnecessários.
A taxa de sucesso dos implantes registrada atualmente gira em torno de de 98% até 10 anos de acompanhamento, podendo variar com cada situação. As perdas de implantes (+/- 2%), estão associadas a infecção, sobrecarga prematura, má higienização local, fumo e principalmente a longo prazo, por sobrecarga.
São poucas as contraindicações para este tipo de tratamento, porém iremos apresentar alguns casos:
  • Pacientes com doenças sistêmicas graves, por exemplo,a leucemia;
  • Pacientes como câncer que estão sendo tratados com radioterapia na região da cabeça e pescoço, até que termine o tratamento e seu médico autorize a intervenção;
  • Diabetes não controlada, pois o paciente diabético estará mais exposto a infecções;
  • Crianças ou jovens até que terminem seu desenvolvimento;
  • Pacientes que estejam utilizando os bisfosfonatos (medicamento), pois eles interferem nos processos de remodelação óssea.
Sim. Porém, as taxas de sucesso são menores que as observadas em pacientes não fumantes
Em alguns casos sim. A utilização de osso do próprio paciente removido de áreas como a crista do osso ilíaco, a calota craniana, do mento, ou do ramo da mandíbula, consistem em apenas uma das técnicas utilizadas pelos profissionais para recuperação óssea. Porém, existem técnicas de enxertia utilizando biomateriais, que em inúmeros casos, evitam a utilização de uma área doadora do próprio paciente.
Por conta das propriedades hemostáticas, adesivas e cicatrizantes do plasma de fibrina, seu uso tornou-se recorrente em cirurgias torácicas, cardiovasculares, neurológicas, oftálmicas, reconstrutivas e odontológicas. "A função da Fibrina Rica em Plaquetas é promover essencialmente a adesividade entre tecidos, permitindo então que o processo de regeneração seja acelerado. Sendo assim, o seu uso é excelente para a regeneração dos tecidos moles".

PERGUNTAS SOBRE CLAREAMENTO

Dependendo do grau e escurecimento dental serão necessárias de 2 à 4 sessões de 40 minutos cada.
Através da técnica de clareamento interno é possível. Normalmente o resultado é obtido em três sessões.
Sim. Deve-se evitar alimentos com corantes. Exemplos: chá, café, coca-cola, beterraba, chocolate, etc... Pois os mesmos diminuem a eficácia do tratamento e durabilidade.
Sim. Inicia-se o clareamento a laser no consultório e na sequência faz a manutenção com o clareamento utilizando a plaquinha em casa para prolongar o resultado.
O ideal é uma vez por ano, fazer uma sessão de manutenção de clareamento. Evitar o consumo diário de café, chá e vinho.

PERGUNTAS SOBRE PERIODONTIA.

Tudo começa com uma mistura de proteínas e outros componentes da saliva que se depositam sobre a superfície do dente. Com o tempo, forma-se uma camada viscosa, chamada película adquirida, sobretudo na região de encontro do dente com a gengiva. Presentes naturalmente na boca, bactérias logo grudam nessa película. À medida que vão se alimentando dos restos de comida, essas bactérias se multiplicam, formando a placa bacteriana. Se o dente for bem escovado, a placa é removida e você nem precisa se preocupar com o passo seguinte. Porém, com 12 horas sem escovação, os ácidos gerados pelas bactérias já desgastam elementos do esmalte do dente, entre eles o fosfato. Esse fosfato reage com íons de cálcio presentes em alguns alimentos. Essa reação resulta em cristais de fosfato de cálcio, que vão colando sobre o dente, junto com outros minerais. Com o passar do tempo, esses minerais vão se acumulando uns sobre os outros e – voilà! – eis o tártaro, todo amarelão. Embora não seja nocivo por si só, o acúmulo excessivo do tartaro acaba pressionando e irritando a gengiva, que fica mais vulnerável a gengivites e outras doenças. A esta altura, o “pedregulho” do tártaro é uma estrutura tão rígida que tentar removê-lo na base do escova-escova é totalmente inútil. Aí, meu caro, a única solução é ir até o dentista para fazer uma raspagem da craca.
A periodontite é a inflamação que atinge os tecidos periodontais, provocando a sua destruição. Com sua evolução, pode ocorrer o amolecimento do dente devido a perda de suporte ósseo, podendo causar a perda do dente.
A gengivite é a inflamação dos tecidos gengivais que circundam o dente.

PERGUNTAS SOBRE PRÓTESES

São próteses removidas pelo paciente no momento que desejar. As próteses parciais removíveis são utilizadas nos casos em que o paciente ainda possui alguns dentes na boca. Elas irão substituir apenas os dentes que estão faltando em uma das arcadas. As próteses totais removíveis, substituirão os dentes de uma arcada. São apoiadas apenas sobre a gengiva.
São próteses que não podem ser removidas pelos pacientes. Podem ser unitárias ou múltiplas, sobre dentes ou sobre implantes.
São próteses apoiadas sobre implantes dentários (substitutos das raízes dos dentes). Podem ser coroas unitárias, pontes fixas, próteses totais e até mesmo próteses removíveis.
São prótese sem metal. São confeccionadas exclusivamente com materiais estéticos e tem como objetivo evitar o escurecimento do tecido gengival ao redor delas.

PERGUNTAS SOBRE ODONTOPEDIATRIA

A gestante deve realizar a consulta de pré-natal odontológico para receber as orientações sobe os cuidados sobre saúde bucal de seu bebê. É recomendado que a primeira visita do bebê ao odontopediatra seja realizada ao nascimento do primeiro dente.
Em situações de traumatismos bucais e /ou faciais, nos procurem imediatamente para direcionarmos o atendimento. Muitos casos poderão ser resolvidos no consultório, sem a necessidade de atendimento hospitalar.
Segure o dente pela coroa (porção dental que visualizamos na boca), lave abundantemente em água corrente, recoloque boca e nos procure imediatamente. Caso não seja possível recolocá-lo, guarde-o em um recipiente com soro fisiológico, leite ou saliva e nos procure o quanto antes. É importante não esfregar nada no dente para a limpeza, para não remover as fibras que estão na raiz.